17.6.11

Festival de quadrilha junina envolveu escolas municipais de Itabuna

Escola Flávio Simões novamente premiada



Um grande público acompanhou nesta quinta-feira (16), na Praça Otávio Mangabeira, em Itabuna as encenações teatrais e apresentações das quadrilhas juninas de nove escolas da Rede Municipal de Ensino, incluindo as crianças especiais do Centro Psicopedagógico de Educação Inclusiva – Cepei. O evento integra a 10ª edição do Programa Pátria Amada, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação, com a finalidade de resgatar as manifestações juninas e levá-las à praça pública, além de promover a socialização com os alunos.



A abertura do festival foi realizada com a encenação do Rei do Canganço, pela turma da Biblioteca Intinerante, que também dançaram ao som de músicas juninas. Em seguida, os alunos do Cepei desempenharam uma apresentação especial de quadrilha junina, que teve prosseguimento com as exibições dos alunos das escolas, Raimundo Gerônimo Machado, Marieta Carvalho, Zacarias Dantas, Brasília Baraúna, Flávio Simões, Infanto Juvenil, Maria Pinheiro, Ubaldo Dantas e Amélio Cordier.



Os alunos levaram a praça pública todos os atributos de uma apresentação típica de São João, mas elas se diferenciaram a partir dos critérios apontados pelos jurados, que avaliaram a música, animação, inovação, coreografia, organização, o figurino, a originalidade, criatividade e marcação. Nesse contexto, a quadrilha que melhor atendeu as expectativas do júri foi a Escola Municipal Zacarias Dantas, que fica localizada na Zona Rural de Itabuna, em Mutuns, cabendo à nossa escola a terceira colocação no evento.



Envolvimento



De acordo com o secretário de Educação Gustavo Lisboa o Festival de Quadrilhas é realizado todos os anos, no contexto do Programa Pátria Amada, com a intenção de resgatar o significado do São João, a importância das quadrilhas juninas, da socialização das crianças menores em relação às atividades que desenvolve, através do envolvimento com os professores.



“Eu acredito que já faz parte do nosso calendário trabalhar a quadrilha junina, não só nas escolas, mas trazer para as praças públicas. Esse é o grande significado, mostrar a importância de se cultivar essas coisas que são fundamentais para a vida de cada um. O que vale é recordar uma cultura tão importante na nossa região”, ressaltou Gustavo Lisboa.



 
 
do site da PMI

Último dia do Congresso Internacional de Educação

Conferencias internacionais marcaram o último dia do Congresso internacional de educação do estado da Bahia.



O conferencista suíço Philippe Perrenoud falou sobre “Como aprender a negociar as mudanças na educação”. Já o tema “Nós podemos formar, com inovação, limites e horizontes na escola”, foi desenvolvido pelo francês Marc Giget.


                                                            Educador sueco Philippe Perrenoud





                                                                  Educador francês Marc Giget



Para fechar o bloco internacional, o português José Pacheco proferiu conferência sobre inclusão: “Existem outras formas de se educar, podendo incluir o aluno, dando a ele liberdade para ser responsável e estimular a participação dele no sistema educativo”, disse Pacheco.


                                                          Educador português José Pacheco

Os educadores ainda apresentaram trabalhos, conheceram o sistema educacional Edux e participaram de uma mesa redonda com painel de debates. Na cerimônia de encerramento estiveram presentes palestrantes e a secretária municipal de educação, Dilza Reis. E os participantes do Cideb receberam os certificados. Para a professora Natalina Moraes, o congresso foi produtivo e, segundo ela, os maiores beneficiados são os alunos: “Tudo o que aprendemos nestas palestras maravilhosas vai ser colocado em prática com os alunos, portanto, eles é que vão receber mudanças positivas na educação”, disse.

CIDEB...continuação

Seguindo a programação do 1º Congresso Internacional de Educação, realizado na cidade de Porto Seguro, na Bahia, nos dias 8 a 11 de junho, postamos agora as atividades realizadas no 3º dia do Congresso - 10/06



Dois blocos de oficinas, além de conferências e palestras levaram conhecimento aos participantes do CIDEB no terceiro dia de congresso.


A conferência “Educação, trabalho e desenvolvimento sustentável”, de Luiz Augusto Caldas, abriu as atividades do dia, seguida de uma apresentação de dança e da palestra “Como incentivar a parceria entre família e escola”, de Edileide Castro. Depois, seis oficinas encerraram a programação da manhã.


Eixo Temático I - Educação, Trabalho e Desenvolvimento Sustentável
Conferencista: Luiz Augusto Caldas Pereira (MEC/SETEC)

A partir das relações entre educação, trabalho e desenvolvimento sustentável, pretende-se fomentar debates acerca das políticas formuladas pelos órgãos internacionais reguladores, pelos Estados e pelas instituições representantes de diferentes segmentos sociais e discutir também se essas políticas possibilitam a qualidade social da cidadania.


É preciso compreender a complexa relação entre educação, trabalho e desenvolvimento sustentável e seus aspectos políticos, sociais, econômicos, culturais e ambientais para estimular e definir caminhos menos competitivos e mais solidários.

A busca de um desenvolvimento sustentável requer o entendimento de que a dinâmica da realidade decorre do nexo entre as ações individuais e as coletivas que formam o tecido social de nosso tempo.

Eixo Temático II- Como incentivar a parceria família e escola?
Palestrante: Edileide Castro

video
 
No mesmo dia ouvimos Fernando Dolabela explanando sobre a Pedagogia Empreendedora: Ensino de Empreendedorismo na Educação Básica.
 
Mais seis oficinas prenderam a atenção dos educadores. A primeira abordou o tema: “Diretrizes para a melhoria do processo educativo”, ministrada pela especialista Janeth Scofield.

Já a última, ministrada pelo doutor João Rocha Filho, tratou do “Currículo escolar e as relações de heterosexismo e homofobia na educação básica: “Heterosexismo é a valorização do homem heterossexual na escola e na sociedade. Trabalhamos com educação, precisamos educar também para a aceitação das diferenças”, disse Rocha Filho.

Uma apresentação de capoeira e maculelê iniciou as atividades da noite, que teve como ponto alto a conferência: “A arte de conviver e do aprender, o caminho do conhecimento”, apresentada por Eduardo Shinyashiki.

Eixo III - A arte de conviver e do aprender, o caminho do conhecimento 
Conferencista: Eduardo Shinyashiki.








16.6.11

Programa Pátria Amada

SEC premia os destaques do Programa Pátria Amada





O talento dos estudantes da Escola Zacarias Dantas, localizada no setor rural do município de Itabuna, foi um show a parte na solenidade de premiação do 10º Concurso Pátria Amada, realizada na última terça-feira, dia 14, no auditório da FTC Itabuna. A Escola foi vencedora da categoria “Era Uma Vez” do teatro.

Diante de uma platéia formada por estudantes do Ciclo da Infância, Creche e Pré-Escola, professores, pais e autoridades municipais os pequenos atores não se intimidaram e fizeram bonito apresentando a montagem teatral baseada no clássico da literatura infantil Chapeuzinho Vermelho, sendo aplaudidos calorosamente de pé ao final da apresentação.



Presidindo a solenidade, o secretário da Educação, Gustavo Joaquim Lisboa, ressaltou a importância da 10ª edição do Pátria Amada ao propor práticas de incentivo à leitura nas escolas da Rede Pública Municipal de Ensino. Ele lembrou que em todas as suas edições, o Pátria Amada já distribuiu mais de R$ 500 mil em prêmios, graças às parcerias estabelecidas pelo governo municipal com empresas privadas.

“Porém, o Programa se destaca como uma das iniciativas implementadas pela Prefeitura de Itabuna que, além de resgatar e promover valores de patriotismo e exercício de cidadania, conseguiu instituir no ambiente das escolas mais alegria, despertando talentos artísticos nas áreas de literatura, teatro, música, sem falar no incentivo à pesquisa por parte dos educadores”, frisou Lisboa.

O secretário paraenizou aos participantes e à equipe do Departamento de Projetos Integrados da SEC pelo empenho e zelo com que fizeram acontecer esta edição do Pátria Amada. Gustavo enfatizou ainda a parceria da Rede de Ensino FTC, da Trifil, da Gráfica Vital e das editoras FTD e Abril Cultural.

Premiação

Um momento mais esperado pelos participantes do 10º Concurso Pátria Amada começou com a premiação da categoria coletiva “Recontando um Conto”, quando os pequenos da Creche-Escola Esther Gomes ficaram em primeiro lugar reproduzindo em desenhos o clássico João e Maria. Com recompensa pelo esforço, eles receberam brinquedos fantoches. A aluna Luiza Cristiny Paixão, da Escola Berilo, ficou em primeiro lugar na categoria individual “Recontando um Clássico”. A categoria de teatro “Era Uma Vez” foi conquistada pela Escola Zacarias Dantas.





O prêmio para a melhor história em quadrinhos ficou para a aluna Amanda Maria Alves, da Escola Jorge Ribeiro Carrilho.

 Na categoria auto-biografia “Sim, Sou leitor e Escritor”, onde 95 estudantes do Programa de Educação de Jovens e Adultos (Proeja) concorreram, a aluna da Escola Flávio Simões, Keinara Cristina Andrade da Silva ficou com o primeiro lugar.

A categoria projeto de intervenção “Minha Escola Lê” foi vencida pela Escola Heribaldo Dantas.

A categoria dedicada aos docentes da rede municipal “O Livro que Marcou Minha Vida” teve como vencedora a professora Larissa Santos Pereira , da Escola Frederico Smith Lima, que falou das suas lembranças do livro Cem Anos de solidão, de Gabriel Garcia Marques. A solenidade de premiação contou com a participação do diretor-geral da FTC Itabuna, Cristiano Lobo; da presidente do Conselho Municipal de Educação, Maria Lúcia Bittar. Nesta quinta-feira, dia 16, acontece o Concurso de Quadrilhas Juninas do Programa Pátria Amada, na Praça Otávio Mangabeira, a partir das 14 horas.



do site da PMI

14.6.11

CIDEB

O segundo dia de CIDEB em Porto Seguro ofereceu palestras e oficinas aos educadores participantes. No período da manhã assistimos a uma conferência com o tema: “Pelo (re) encantamento da escola”, proferida pelo mestre Celso Antunes.











Depois, participamos atividade uma atividade pedagógica prática e apresentação de trabalhos com o palestrante Professor Sassá.





Na parte da tarde, seis oficinas foram ministradas por grandes nomes da educação brasileira. Os temas foram: educação e tecnologia, o cérebro humano e a aprendizagem, programação neuro linguística, educação ambiental e sustentabilidade, educação e ações afirmativas e a importância do corpo na aprendizagem: o papel da psicomotricidade.



O mestre Celso Antunes, que foi consultor da Unesco no Brasil, falou sobre a experiência de participar do evento: “Está sendo ótimo, falar sobre educação é sempre bom e o público me recebeu muito bem”, disse. De noite, os educadores ainda assistiram a conferência sobre memória, motivação e aprendizagem.

Ética e tempo de transcendência

Na noite de quarta-feira, 08 de junho de 2011, Leonardo Boff apresentou a palestra de abertura do 1º CIDEB – Congresso Internacional de Educação da Bahia, intitulada “Ética e tempo de transcendência”.




Leonardo Boff é escritor, teólogo, filósofo e professor nas universidades de Lisboa-Portugal, Salamanca-Espanha, Harvard-EUA, Basel-Suíça e Heidelberg-Alemanha. Também é muito conhecido por ser um dos maiores expoentes da Teologia da Libertação, da defesa das causas sociais e atualmente das causas ambientais.

Boff começou sua palestra arrancando aplausos dos congressistas ao dizer que Porto Seguro era o lugar onde “os indígenas descobriram os portugueses”, pois a história não pode ser contada apenas pela perspectiva do invasor.

Em seguida falou da existência de muitas crises (econômicas, ecológicas), sendo a mais grave de todas a falta de ética. Segundo Boff, a falta de ética nos transforma no Satã da terra em vez de sermos seus anjos da guarda.

Boff falou que temos duas entradas, sendo a primeira a família que é a base de tudo o que seremos no futuro e a segunda a escola, que nos prepara para a vida através da aquisição do conhecimento.

Boff disse que somos herdeiros da revolução, no caso o Iluminismo, que universalizou a escola, antes destinada apenas as pessoas de posse, enquanto a população era mantida sob a falta de conhecimento. Somos herdeiros da sociedade da ciência, afirmou ele.

Segundo Boff, estamos na era planetária, onde a terra é reconhecida como nosso único lar, nosso e das demais espécies. Somos responsáveis pela terra, assim como somos responsáveis por extrairmos o máximo da terra utilizando a tecnologia, esgotando o ecossistema e a biodiversidade.

Boff também diz que estamos na era antropocêntrica, onde o homem tornou-se um perigo para sua própria subsistência, citando a possibilidade que os russos tinham de deflagrar a destruição da terra através de bombas durante a guerra fria e o fato de se fabricarem hoje ainda mais armas, mesmo depois do seu fim. Corremos o risco de não ter um futuro.

Em seguida falando do ethos (casa, arrumar a casa), define que a nossa casa hoje é o planeta. Como podemos arrumar, organizar esta casa?. Comer, ir à escola, ter um salário decente, é a utopia mínima, negada a quase metade da população mundial. Segundo pesquisas, 20% dos mais ricos do mundo consomem cerca de 86,06% das riquezas da terra, enquanto 20% dos mais pobres consomem 1,04%. Assim, cerca de 320 famílias consomem mais que países que somam 600.000.000 (seiscentos milhões) de habitantes.

Segundo Boff é tarefa da nova educação saber como está nossa casa. Devemos ser éticocêntricos e questionar como estão as outras formas de vida, que habitam a mesma casa. A terra sempre foi tida como um baú de onde se retirava tudo o que se necessitava, porém sabemos hoje que os recursos são escassos. Boff diz que a terra não precisa de nós, e sim nós precisamos dela, que ela pode viver muito bem sem a nossa presença. Se não cuidarmos da nossa casa corremos o grande risco de desaparecer.

Boff fala que a terra é chamada de “mãe terra” e quando pensamos em nossas mães concluímos que mãe não se vende não se compra e não se maltrata. Temos o mesmo proceder quando se trata da mãe terra?

Falou também sobre uma crise também atual, a dos sentimentos, pois se sentíssemos os outros, não iríamos querer que os outros sofressem, conforme o texto bíblico que diz que não devemos desejar aos outros aquilo que não queremos para nós mesmos.

Boff diz que o novo desafio pedagógico é cuidar e proteger, que segundo Heidegger a essência do ser humano não é a razão ou inteligência, e sim o cuidado. Uma espécie de “ética do cuidado”, pois tudo o que amamos nós cuidados, uma “ética da responsabilidade”, pois devemos assumir as nossas responsabilidades e uma “ética da compaixão”, pois devemos respeitar não só os mais velhos, mas também cada ser que habita a casa. Precisamos do que mais falta atualmente entre nós: cooperação solidária.

Segundo Boff, a lei suprema da ética é tratar humanamente todos os seres. Precisamos também da espiritualidade, que não está vinculada a uma religião ou ir a igreja, mas sim ao profundo do ser. O homem é dividido em ser exterior – o corpo, ser interior – o que somos, e o ser profundo – o espiritual.

Boff finaliza a palestra dizendo que somos estrelas, e como estrelas vivemos para brilhar e não somente para existir.

Após o final da palestra Leonardo Boff , acompanhado de sua esposa, concedeu entrevistas, autografou livros e posou para fotos com os congressistas.



por José Daniel da Silva
http://computacaoifbaps.wordpress.com/

Porto Seguro sedia Congresso Internacional de Educação

Nos dias 08, 09, 10 e 11 de junho do ano corrente, Porto Seguro foi palco do Congresso Internacional de Educação do Estado da Bahia (Cideb). Realizado pelo Centro Cultural e Eventos de Porto Seguro, o evento aconteceu no Centro de Convenções do Descobrimento – BR 367, Km10.



Com o tema “A Educação para um Estado sem Fronteiras: da Teoria à Prática”, o CIDEB contou com palestrantes internacionais como Phillipe Parrenoud (Dr. Prof. da Universidade de Genebra, Suíça), Marc Giget (Dr. Prof. da Universidade de Paris, França), José Pacheco (PhD em educação infantil e da adolescência, Professor da Escola da Ponte (Portugal), Mestre em educação para crianças, licenciado em Ciências da Educação pela Faculdade de psicologia de Coimbra (Portugal), formador de professores de forma continuada e capacitação, pesquisador no (IIE, FPCE- UP) e no Instituto Paulo Freire em Portugal), além de nomes como Leonardo Boff (Doutor em Teologia e Filosofia na Universidade de Munique-Alemanha Franciscano, Professor nas universidades de Lisboa-Portugal, Salamanca-Espanha, Harvard-EUA, Basel-Suíça e Heidelberg -Alemanha); Celso Antunes (Mestre em pedagogia pela USP, escritor e pesquisador), Hamilton Werneck (Dr. Prof. e Consultor Pedagogo, Rio de Janeiro), Eduardo Shinyashiki (Escritor e Dr. em educação, professor nas áreas de educação e desenvolvimento humano nos EUA, Índia, Brasil e México.
 
A abertura do 1º Congresso Internacional de Educação do Estado da Bahia - CIDEB 2011, na noite do dia 8, reuniu mais de 2.600 pessoas, no Centro de Convenções, de Porto Seguro.


A solenidade contou com a presença do Prefeito, Gilberto Abade, que empenhou para a realização do evento em Porto Seguro, incentivando a participação de todos os professores da rede municipal de ensino, subsidiando parte da inscrição. Além dele, a mesa de honra foi composta também pelo magnífico reitor da Universidade Estadual da Bahia (UNEB), Lorisvaldo Valentin da Silva; a pró-reitora da Extensão da UNEB, Adriana Santos; o juiz da Vara Crime, André Strogenski; a secretária de Educação, Dilza Reis; a tecnologista do Núcleo de Educação Ambiental do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Maria Tereza; e a diretora da DIREC, Janeth Aparecida Scofield.

O palestrante da noite, o professor doutor, Leonardo Boff, explorou o tema Ética e Tempo de Transcendência. Sem consolos, preferiu angustiar o público, na tentativa de provocar a transcendência. “O mundo vive em crise. A principal delas é a crise da ética. Precisamos urgente resgatar esse valor para com o planeta e para com as pessoas, colocando-nos um no lugar do outro”, começou, sendo aplaudido várias vezes ao longo de suas palavras sobre a razão sensível, onde o sentimento é a principal marca do ser humano.



Objetivos


Entre os objetivos do evento estão a contribuição para a constante melhoria da educação; promover o desenvolvimento humano em todas as dimensões do conhecimento; educação continuada no Brasil, e a capacitação prática dos professores e educadores.

A troca de conhecimentos em áreas multidisciplinares também serão motivadas; além de reunir os maiores especialistas em educação, promovendo um debate em torno de temas polêmicos que fazem parte do cotidiano nas instituições de ensino.

A integração e a busca da transformação, motivando os professores a serem agentes de resgate de valores e ética junto aos estudantes é o grande resultado esperado desse encontro que visa à inclusão social.

Projeto de Leitura

Powered by emaze
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

© 2009 - 2013 - Blog do FLÁVIO SIMÕES .



Todos os direitos reservados



Hospedagem: http://www.blogspot.com/



Site desenvolvido por Bete Almeida.